ProfiCiência - informação sobre profissões em ciência Conheça as carreiras científicas
Escolas públicas e privadas de todo o País já podem garantir presença na 15ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). As inscrições para os ensinos fundamental e médio vão até março e as provas, divididas em quatro níveis, acontecem no dia 11 de maio. Em 2011, a olimpíada distribuiu 33.307 medalhas e reuniu 803.180 alunos de 9.153 escolas de todas as regiões do País, envolvendo 64.890 professores. A expectativa deste ano é atingir a marca de um milhão.

Segundo o astrônomo e coordenador nacional da OBA, professor João Canalle, cada prova será constituída de dez perguntas: cinco de Astronomia, três de Astronáutica e duas de Energia. "As questões serão, em sua maioria, de raciocínio lógico", informa.

Os estudantes mais bem classificados vão integrar as equipes que representarão o país na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica - que este ano será no Brasil - e na Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, além de participarem das Jornadas Espacial, de Energia, de Foguetes e do Space Camp.

Canalle ressalta que o objetivo da olimpíada é fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia e ciências afins, promovendo a disseminação dos conhecimentos básicos de forma lúdica e cooperativa: "Nossa principal meta é fornecer dados corretos e atualizados aos alunos e professores".

A OBA é organizada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB). O grupo responsável é constituído pelos astrônomos João Batista Garcia Canalle (UERJ), Thaís Mothé-Diniz (UFRJ), Helio Jacques Rocha-Pinto (UFRJ), Jaime Fernando Villas da Rocha (UNIRIO) e pelo engenheiro aeroespacial José Bezerra Pessoa Filho (IAE).