ProfiCiência - informação sobre profissões em ciência Conheça as carreiras científicas
O fim de semana foi de alegria para a jovem equipe brasileira de matemática. Na disputa pelas medalhas da 55ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, da sigla em inglês), os estudantes garantiram três medalhas de prata e duas de bronze. A competição, que encerrou ontem (13), foi realizada na Cidade do Cabo, África do Sul.  
Murilo Corato Zanarella, 16 anos, Rodrigo Sanches Ângelo, 18 anos, de São Paulo e Daniel Lima Braga, 16 anos, do Ceará, tiveram o melhor desempenho da equipe brasileira garantindo as medalhas de prata, enquanto Victor Oliveira Reis, 17 anos, de Pernambuco e Alexandre Perozim de Faveri, 17 anos, de São Paulo, voltaram ao país com as medalhas de bronze. Alessandro de Oliveira Pacanowski, 18 anos, do Rio de Janeiro, recebeu uma menção honrosa. 

  
Com este resultado o Brasil deixou a África do Sul ocupando a 34ª posição no ranking geral por países com 122 pontos. A equipe da China teve a melhor colocação com 201 pontos, seguida pelos Estados Unidos com 193 e Taiwan com 192.   
 
As provas ocorreram na manhã dos dias 8 e 9 de julho, na University of Cape Town. Nessas datas, os estudantes tiveram 4h30, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, inéditos, com valor de sete pontos cada, que somados dão a pontuação final para a obtenção de medalhas. Os problemas da prova, que foram resolvidos individualmente, foram selecionados a partir de diferentes áreas da matemática do ensino médio como álgebra, combinatória, geometria e teoria dos números. As provas da IMO são sempre definidas dessa forma para que todas essas áreas estejam representadas.
 
Os professores Onofre Campos da Silva Farias e Samuel Barbosa Feitosa, membros da Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática, acompanharam a equipe e tiveram a missão de avaliar e defender as soluções dos brasileiros ante o tribunal de coordenação, formado este ano por 48 especialistas, trabalho que foi fundamental na obtenção das medalhas brasileiras. 
 
Uma vez terminadas as provas, a organização do evento proporcionou aos participantes shows de música africana, aulas de dança, palestras com celebridades do mundo da matemática, demonstrações de jogos africanos e duas excursões guiadas, o que ajudou os estudantes a relaxar e transformou o evento numa experiência internacional inesquecível para os jovens competidores. 
 
A IMO

A Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) é a mais importante, maior e mais prestigiosa de todas as olimpíadas internacionais científicas do mundo. Realizada desde 1959 durante o mês de julho, cada ano em um país, a competição envolve a participação de jovens estudantes com até 19 anos e que não tenham ingressado na universidade. 
 
Este ano o evento foi disputado pela primeira vez no continente africano registrando um recorde de participantes. Ao todo foram 560 estudantes de 101 países. A IMO de 2015 será realizada em Chiang Mai na Tailândia.
 
Histórico do Brasil na IMO

As equipes brasileiras de matemática olímpica já deram muitas conquistas para o Brasil desde 1979, ano em que o país participou pela primeira vez, conquistando até hoje um total de 110 medalhas, sendo 9 de ouro, 33 de prata e 68 de bronze, o que o torna o país latino-americano com o melhor retrospecto na história da competição.
 
A escolha dos estudantes que representam o Brasil na IMO 2014 foi feita a partir dos vencedores da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), que tem por objetivos estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática.
 
 
A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).