ProfiCiência - informação sobre profissões em ciência Conheça as carreiras científicas


Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, de Vinhedo (SP), recebe a medalha de ouro (Foto: Divulgação/OBM) 

Uma jovem equipe de estudantes acaba de conquistar o primeiro lugar geral na 26ª Olimpíada de Matemática do Cone Sul, que encerrou hoje (18) na cidade de Temuco, no Chile. A delegação obteve uma medalha de ouro e três de prata totalizando 201 pontos.

A medalha de ouro foi conquistada por Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, de Vinhedo (SP), enquanto os estudantes André Yuji Hisatsuga, de São Paulo (SP), Guilherme Goulart Kowalczuk, de Porto Alegre, (RS) e Vitor Carneiro Porto, de Fortaleza (CE), receberam as medalhas de prata. Os jovens foram liderados pelos professores Krerley Oliveira, de Maceió (AL) e José Armando Barbosa Filho, de Natal (RN).



André Yuji Hisatsuga, de São Paulo (SP), Guilherme Goulart Kowalczuk, de Porto Alegre (RS) e Vitor Carneiro Porto , de Fortaleza (CE), receberam medalhas de prata (Foto: Divulgação/OBM)

Participaram da olimpíada, estudantes da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Peru, Paraguai e Uruguai. No ano que vem, o evento será realizado na Argentina.

As provas

A competição é individual e teve duas provas teóricas realizadas nos dias 15 e 16, os participantes tiveram quatro horas, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, propostos pelos países participantes e selecionados por um júri internacional, composto pelos professores líderes, um por cada país participante. Os problemas da prova envolveram disciplinas como álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. A soma dos pontos obtidos na solução de cada problema determinou os vencedores do certame.

Como participar da próxima Cone Sul

Os estudantes interessados em formar parte da equipe brasileira devem primeiro participar da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição que ocorre anualmente nas escolas públicas e privadas em todo o país, realizada pelo Impa, cujo diretor é o Acadêmico Cesar Camacho. Após ter sido premiado no certame, os estudantes passam por um intenso processo de seleção, que considera a colocação conquistada na disputa nacional, além dos resultados obtidos em provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de cinco meses. Os quatro estudantes mais bem colocados, e que satisfazem as exigências do regulamento da olimpíada, conquistam as vagas.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A competição nacional alcança hoje mais de 560 mil estudantes e tem desempenhado um importante papel relacionado à melhoria do ensino, descoberta de talentos para a pesquisa em matemática e seleção de estudantes que participam em competições internacionais. 

A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

(OBM)